Notícias

Álcool gel caseiro pode ser perigoso?

Com o coronavírus, o álcool gel sumiu das prateleiras levando várias pessoas a divulgar receitas de álcool gel caseiro na internet. Conheça os perigos.

Larissa
Larissa especial e exclusivo para o RIC Mais
Álcool gel caseiro pode ser perigoso?

27 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 27 de abril de 2020 - 00:00

Com a crise do novo Coronavírus, itens indispensáveis usados na prevenção e na higienização contra a doença, como forma de diminuir as chances de contágios, são cada vez mais escassos. 

Poucos dias após a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter decretado a COVID-19 como uma nova pandemia, o álcool gel sumiu das prateleiras dos mercados e das farmácias, o que gerou pânico. 

Com isso, várias pessoas começaram a divulgar e a reproduzir receitas de álcool gel caseiro na internet, principalmente nas redes sociais. Mas, essa fantasiosa solução pode ser na verdade um tiro no próprio pé. 

Receitas que usam álcool líquido como base, além de serem perigosas para a saúde, pode acabar não protegendo contra o vírus e em alguns casos pode inclusive potencializar a ação da doença no nosso organismo.

O manuseio do produto pode causar desde irritações na pele até incêndios. Apesar de parecer simples, o álcool gel vendido em farmácias e mercados passam por vários testes durante a sua fabricação, garantindo a eficácia do produto em várias bactérias e vírus.

Então, já que a produção do álcool gel caseiro é tão perigosa, o que fazer caso falte? A resposta é simples: o álcool gel é uma medida alternativa, quando não tem pia e banheiros por perto. A higienização com água e sabão é tão eficaz quanto com o álcool gel. Deixe essa opção para ser usada apenas quando estiver fora de casa e não houver banheiros por perto.

Mas, com a recomendação de não sair de casa e com o isolamento social, é provável que você esteja sempre próximo a um banheiro ou uma pia. Lavar as mãos com água e sabão é muito mais eficaz para a eliminação total do vírus, conforme as medidas de prevenção ao novo Coronavírus