Agronegócio

Venda de máquinas agrícolas salta quase 30% em novembro, diz Anfavea

Reuters
Reuters

7 de dezembro de 2020 - 14:28 - Atualizado em 7 de dezembro de 2020 - 14:30

SÃO PAULO (Reuters) – As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias no Brasil registraram avanço de 29,5% em novembro, em relação ao mesmo período de 2019, para 4.267 unidades, informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) nesta segunda-feira.

Com produtores rurais mais capitalizados por preços recordes das commodities ao longo de 2020, firme demanda externa e alto patamar do câmbio, o cenário é favorável para a retomada de investimentos na lavoura, apesar da pandemia.

O desempenho registrado em novembro foi o melhor para o mês, pelo menos, desde 2017. Os tratores de rodas responderam por 3.071 do total comercializado, aumento também de 29,5%.

De olho em uma safra que caminha para ser recorde em 2020/21, a venda de colheitadeiras de grãos alcançou 662 unidades, alta de 34,8% ante igual período do ano passado.

No acumulado de janeiro a novembro, foram comercializadas 42.071 unidades de máquinas do setor, alta de 3,8% no comparativo anual, conforme dados da associação.

Ainda segundo a Anfavea, a produção de máquinas agrícolas e rodoviárias atingiu 4.971 unidades em novembro, aumento de 13,3% no ano a ano. Já nos onze meses 2020, houve queda de 15,5%, para 42.952 unidades.

Mais cedo, nesta segunda-feira, o presidente da associação de montadoras, Luiz Carlos Moraes, alertou para um potencial risco para a produção causado por problemas na cadeia de suprimentos, devido à volatilidade do câmbio e do contínuo avanço da Covid-19 entre países fornecedores de peças.

A preocupação do executivo foi referente ao setor de veículos como um todo, mas trata-se de um entrave que também acometeu o segmento de máquinas agrícolas durante a pandemia.

As exportações do setor somaram 804 unidades no mês passado, retração de 27,8%, enquanto os embarques acumulados até novembro caíram 32,6%, para 8.042 unidades.

(Por Nayara Figueiredo; com reportagem adicional de Alberto Alerigi Jr.)