Agronegócio

Trigo tem mínima de 3 meses em Chicago; milho e soja também caem

Reuters
Reuters

25 de março de 2021 - 19:16 - Atualizado em 25 de março de 2021 - 19:20

Por Julie Ingwersen

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do trigo negociados em Chicago recuaram para o menor patamar de 2021 nesta quinta-feira, pressionados por melhores perspectivas para a produção mundial e pelo dólar mais firme, fator que tende a tornar os grãos norte-americanos menos competitivos globalmente, disseram analistas.

Os futuros de milho e soja também cederam, acompanhando quedas generalizadas nas commodities, em momento em que o mercado ajusta posições antes da divulgação de importantes relatórios do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês), que ocorrerá na próxima semana.

O contrato maio do trigo fechou em queda de 12,25 centavos de dólar, a 6,1250 dólares por bushel, após tocar a marca de 6,09 dólares, nível mais baixo desde 28 de dezembro.

“No trigo, precisávamos de chuvas (nos EUA) e elas estão acontecendo. A safra russa também está aumentando”, disse Don Roose, presidente da U.S. Commodities. “Parece que os estoques estão aumentando em todo o mundo, então o trigo lidera as quedas.”

O milho para maio recuou 6,75 centavos, para 5,4650 dólares o bushel, enquanto o vencimento maio da soja cedeu 18,50 centavos, a 14,1425 dólares/bushel.

O contrato maio do óleo de soja atingiu seu limite diário de baixa, de 2,5 centavos, e terminou a sessão cotado a 54,98 centavos de dólar por libra-peso, afastando-se da máxima contratual atingida nesta semana.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz, em Paris, e Colin Packham, em Camberra)

(Por Marta Nogueira)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.