Agronegócio

Trigo recua 3% com exportações russas no radar; soja e milho também caem

Reuters
Reuters

30 de novembro de 2020 - 20:23 - Atualizado em 30 de novembro de 2020 - 20:25

Por Julie Ingwersen

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do trigo negociados em Chicago recuaram mais de 3% nesta segunda-feira, diante de perspectivas de que a Rússia, maior fornecedora global do cereal, possa elevar sua cota de exportações, além da liquidação de posições compradas ao final do mês, disseram analistas.

Os futuros da soja e milho também cederam, à medida que chuvas são registradas em áreas de cultivo no Brasil e Argentina, aliviando os temores com a seca.

O contrato março do trigo fechou em queda de 21 centavos de dólar, a 5,85 dólares por bushel. A soja para janeiro recuou 23,25 centavos, para 11,6850 dólares/bushel, e o vencimento março do milho teve baixa de 7,75 centavos, a 4,26 dólares o bushel.

O trigo recuou depois de o Ministério da Agricultura da Rússia afirmar que o país pode elevar o tamanho de sua cota de exportações, planejada para o período entre 15 de fevereiro e 30 junho, para 17,5 milhões de toneladas, contra atuais 15 milhões.

“Isso faz com que haja um pouco mais de trigo disponível para o mercado global”, disse Jack Scoville, vice-presidente do Price Futures Group em Chicago.

(Por Julie Ingwersen em Chicago; reportagem adicional de Michael Hogan em Hamburgo e Naveen Thukral em Cingapura)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.