Agronegócio

Tráfego no rio Mississippi é retomado após bloqueio causar congestionamento de navios

Reuters
Reuters

14 de maio de 2021 - 17:18 - Atualizado em 14 de maio de 2021 - 17:20

Por Tom Polansek

SÃO PAULO (Reuters) – O Rio Mississippi foi reaberto para o tráfego de navios próximo a Memphis, Tennessee, nesta sexta-feira, segundo a guarda costeira dos Estados Unidos, após fechamento de parte da hidrovia que causou um acúmulo de mais de mil navios com carregamentos de petróleo, milho e outras mercadorias.

A guarda costeira afirmou que o rio está aberto para o tráfego de todos os navios, sem restrições, após uma suspensão nas movimentações na quinta-feira, devido a uma fratura na Ponte Hernando DeSoto.

O problema na estrutura da ponte e o congestionamento de navios deu destaque à importância de obras de infraestrutura, com o presidente Joe Biden à procura de uma aprovação no Congresso para um projeto de lei de infraestrutura de 2,25 trilhões de dólares.

“Baseado em informações do Departamento de Transporte do Tennessee, a guarda costeira determinou que o tráfego de baixo da ponte I-40 é seguro para o trânsito marítimo”, afirmou Ryan Rhodes, da guarda costeira, capitão do Porto de Memphis.

A reabertura começará a aliviar um congestionamento de 62 navios com 1.058 barcas que estavam esperando.

Aliviar o acúmulo de navios no rio pode levar aproximadamente 48 horas, disse Mike Steenhoek, diretor executivo da Soy Transportation Coalition, um grupo de indústria agrícola.

O fechamento do rio impactou o setor agrícola, pois as ofertas de milho e soja do mundo estão apertadas e os preços estão próximos de uma máxima de oito anos, devido à forte demanda.

Quase todas as barcas deverão passar sob a ponte DeSoto no caminho para instalações de exportação do Golfo do México.

“A minha esperança é de que esta situação irá estimular um aumento de esforços para criar um investimento em infraestrutura mais flexível, para a América rural e urbana”, disse Steenhoek.

(Reportagem de Tom Polansek)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.