Agronegócio

Soja tem rali em Chicago após queda no início do dia desencadear novas compras

Reuters
Reuters

29 de dezembro de 2020 - 17:24 - Atualizado em 29 de dezembro de 2020 - 17:25

Por Christopher Walljasper

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago atingiram novas máximas nesta terça-feira, com operadores ignorando a pressão de curto prazo representada por negociações trabalhistas promissoras na Argentina.

O milho acompanhou a soja e também fechou em alta, apoiado pelo otimismo com exportações, enquanto o trigo avançou após dois dias de perdas.

Apesar de ter iniciado o dia em baixa, o contrato mais ativo da soja terminou a sessão com ganho de 38,75 centavos de dólar, cotado a 12,9625 dólares por bushel, após atingir a marca de 12,9950 dólares, maior nível desde 23 de junho de 2014.

“Neste momento, qualquer queda no preço da soja parece ser uma oportunidade para comprar, porque temos estoques de passagem muito apertados”, disse Dan Hussey, estrategista de mercado sênior do Zaner Group.

Na Argentina, mais de 1,4 bilhão de dólares em exportações agrícolas estão com carregamentos bloqueados devido a uma longa greve de trabalhadores do setor de oleaginosas e inspetores de grãos, embora negociações nesta terça-feira tenham dado sinais de progresso.

Apesar da possível resolução, a oferta global de soja segue apertada.

O milho avançou 9,50 centavos, para 4,66 dólares o bushel, após tocar 4,6725 dólares, patamar mais elevado para um contrato mais ativo desde 2 de junho de 2014, enquanto o trigo subiu 4,25 centavos, a 6,1850 dólares/bushel.

(Reportagem adicional de Naveen Thukral)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.