Agronegócio

Soja se afasta de máxima de 4 anos, mas fecha em alta por preocupação com oferta

Reuters
Reuters

19 de novembro de 2020 - 18:20 - Atualizado em 19 de novembro de 2020 - 18:25

Por Karl Plume

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago se firmaram nesta quinta-feira, com compras já no final da sessão em meio a temores de aperto na oferta, o que compensou realizações de lucros e vendas técnicas que afastaram os preços de máximas de quatro anos no início do dia.

Milho e trigo recuaram após as altas do dia anterior, com investidores embolsando alguns ganhos.

O contrato janeiro da soja fechou em alta de 1,75 centavo de dólar, a 11,7750 dólares por bushel, após operar em queda de até 14 centavos de dólar durante a madrugada. Na quarta, o vencimento mais ativo atingiu o maior nível desde junho de 2016.

O milho para dezembro recuou 3,25 centavos, para 4,2250 dólares o bushel, depois de atingir uma máxima de quase 16 meses na véspera, enquanto o vencimento dezembro do trigo cedeu 6 centavos, a 5,9175 dólares/bushel.

“Nós ficamos muito comprados (na soja) e precisávamos de uma dose de correção. Mercados altistas fazem isso”, disse Ted Seifried, estrategista-chefe de mercados agrícolas do Zaner Group.

Os mercados globais de grãos e oleaginosas têm sido sustentados pelo clima seco na América do Sul e pela forte demanda da China. Chuvas recentes aliviaram parte do estresse climático no Brasil e na Argentina, mas o aperto da oferta global, principalmente de soja, deixou pouco espaço para uma queda na safra.

(Reportagem de Karl Plume, em Chicago; reportagem adicional de Naveen Thukral, em Cingapura, e Sybille de La Hamaide, em Paris)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.