Agronegócio

Soja recua em Chicago com pressão de colheita nos EUA; milho e trigo avançam

Reuters
Reuters

28 de setembro de 2020 - 20:38 - Atualizado em 28 de setembro de 2020 - 20:40

Por Julie Ingwersen

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago recuaram nesta segunda-feira, diante de condições favoráveis à colheita no coração do Meio Oeste dos Estados Unidos, onde os agricultores estão propensos a vender soja e estocar milho, disseram analistas.

Operadores também ajustaram posições antes do relatório trimestral de estoques de grãos do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês), que será divulgado nesta semana.

O contrato novembro da soja fechou em queda de 6,25 centavos de dólar, a 9,9625 dólares por bushel, ampliando as perdas frente às máximas contratuais registradas mais cedo neste mês.

O milho para dezembro avançou 1,50 centavo, para 3,6675 dólares o bushel, e o vencimento dezembro do trigo teve alta de 6 centavos, a 5,5025 dólares/bushel.

“Na soja, estamos vendo alguma pressão da colheita. Os produtores estão vendendo soja direto da colheitadeira, mas qualquer milho colhido tem sido colocado nos estoques”, disse Brian Hoops, presidente da Midwest Market Solutions.

Após o fechamento do mercado, o USDA divulgou que 20% da colheita de soja dos EUA está concluída, ante 6% na semana anterior e 15% na média de cinco anos para o período. Já a colheita de milho do país atingiu 15%, versus 8% na semana passada e 16% na média histórica.

(Reportagem adicional de Michael Hogan, em Hamburgo, e Naveen Thukral, em Cingapura)