Agronegócio

Soja recua em Chicago diante de chuvas na América do Sul

Reuters
Reuters

19 de janeiro de 2021 - 20:49 - Atualizado em 19 de janeiro de 2021 - 20:50

Por Christopher Walljasper

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago recuaram nesta terça-feira, à medida que chuvas na América do Sul fortalecem as perspectivas para a safra da região e dão impulso ao panorama global de oferta, disseram operadores.

O milho acompanhou a soja e também fechou em queda, mas recebeu suporte da forte demanda por exportações e da possibilidade de que a Ucrânia limite seus embarques do cereal.

Já os futuros do trigo tiveram leve queda, embora tenham sido apoiados por uma taxa de exportação na Rússia, grande fornecedora da commodity.

O contrato mais ativo da soja fechou em queda de 31 centavos de dólar, a 13,8575 dólares por bushel, cedendo 2,2%, maior baixa desde 12 de outubro de 2020.

O milho recuou 5,50 centavos, para 5,26 dólares o bushel, enquanto o trigo perdeu 3,25 centavos, a 6,7225 dólares/bushel.

As chuvas em boa parte das regiões produtoras do Brasil deram impulso às culturas, em momento em que o país começa, ainda timidamente, a colher a safra de soja, o que pode amenizar os temores de oferta.

“A cada semana que passa, a colheita vai ganhando força na América do Sul”, disse Don Roose, presidente da U.S. Commodities.

(Por Christopher Walljasper; reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.