Agronegócio

Soja chega a superar US$10/bushel em Chicago com demanda chinesa e safra menor nos EUA

Reuters
Reuters

14 de setembro de 2020 - 16:49 - Atualizado em 14 de setembro de 2020 - 16:50

Por Julie Ingwersen

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago chegaram a superar nesta segunda-feira a marca de 10 dólares por bushel pela primeira vez em mais de dois anos, em meio à firme demanda da China pela oleaginosa, antes de devolverem parte dos ganhos com realização de lucros, disseram analistas.

Os futuros do milho terminaram o dia com pouca alteração, devolvendo ganhos após saltarem para uma máxima de seis meses, enquanto o trigo avançou.

O contrato novembro da soja fechou em alta de 3,50 centavos de dólar, a 9,9950 dólares por bushel, depois de atingir a marca de 10,0875 dólares –máxima contratual e maior nível para o vencimento mais ativo desde junho de 2018, em gráfico contínuo.

O milho para dezembro avançou 1 centavo, para 3,6950 dólares/bushel, após tocar 3,71 dólares, máxima desde 16 de março. O vencimento dezembro do trigo teve ganho de 3,75 centavos, a 5,4575 dólares o bushel.

A soja avançou após o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) ter reduzido na sexta-feira suas estimativas para produção e estoques finais da oleaginosa no país em 2020/21.

Analistas destacaram que o governo manteve inalterada sua projeção para as exportações de soja dos EUA em 2020/21, apesar de um aumento nos embarques para a China, um fator que alimenta expectativas de que o USDA possa reduzir ainda mais sua estimativa para os estoques norte-americanos.

“O mercado quer acreditar que veremos uma demanda contínua, com uma leve redução no tamanho da safra”, disse Tom Fritz, sócio do EFG Group em Chicago, sobre a alta nos futuros da soja.

(Reportagem de Julie Ingwersen em Chicago, com reportagem adicional de Naveen Thukral em Cingapura e Sybille de La Hamaide em Paris)