Agronegócio

Soja avança em Chicago diante de temores com oferta sul-americana

Reuters
Reuters

23 de dezembro de 2020 - 17:59 - Atualizado em 23 de dezembro de 2020 - 18:00

Por Christopher Walljasper

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago deram sequência a um rali nesta quarta-feira, à medida que uma greve de trabalhadores na Argentina atrasa as exportações locais, mesmo em momento em que a chegada de chuvas ao país sul-americano alivia parte das preocupações com a seca.

Trigo e milho acompanharam a oleaginosa e também subiram, apoiados pelos temores com os embarques argentinos e preocupações com a seca prolongada na América do Sul.

O contrato mais ativo da soja fechou em alta de 10 centavos de dólar, a 12,60 dólares por bushel, após atingir a marca de 12,6765 dólares, maior nível em gráfico contínuo desde 23 de junho de 2014.

O milho avançou 3,75 centavos, para 4,4725 dólares o bushel, depois de tocar 4,4975 dólares, mais alto patamar desde 15 de julho de 2019, enquanto o trigo teve ganho de 5,75 centavos, a 6,17 dólares/bushel.

Os embarques de farelo de soja no curto prazo têm sido prejudicados pela paralisação de trabalhadores nos portos argentinos.

(Reportagem de Christopher Walljasper; reportagem adicional de Gus Trompiz, em Paris, e Colin Packham, em Sydney)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.