Agronegócio

Soja atinge máxima de 4 anos em Chicago com forte demanda e estoques apertados

Reuters
Reuters

17 de novembro de 2020 - 18:22 - Atualizado em 17 de novembro de 2020 - 18:22

Por Karl Plume

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago atingiram uma máxima de quatro anos nesta terça-feira, à medida que a crescente demanda doméstica e de exportadores pela oleaginosa dos Estados Unidos amplia preocupações de que ofertas já reduzidas possam ficar ainda mais apertadas.

Os futuros do milho avançaram pela terceira sessão consecutiva, apoiados pela forte demanda e pela menor oferta global, enquanto o trigo recuou após dois dias de ganhos.

“A soja está liderando o complexo hoje, com expectativas de mais vendas dos EUA para exportação, especialmente para a China, e sinais de demanda doméstica robusta para esmagamento”, disse Matt Ammermann, gerente de riscos em commodities da StoneX.

“Isso ocorre em um contexto de ofertas mais apertadas, após a previsão de estoques menores de soja nos EUA feita pelo USDA (Departamento de Agricultura norte-americano) na semana passada”, acrescentou.

O contrato janeiro da soja fechou em alta de 16,25 centavos de dólar, a 11,6975 dólares por bushel, após atingir máxima de 11,7825 dólares, maior nível para um contrato mais ativo desde 13 de junho de 2016. Todos os vencimentos da soja registraram novas máximas de contrato.

O milho para dezembro avançou 4 centavos, para 4,2025 dólares o bushel, e o vencimento dezembro do trigo recuou 2,75 centavos, a 5,9525 dólares/bushel.

(Reportagem de Karl Plume, em Chicago; reportagem adicional de Michael Hogan, em Hamburgo, e Naveen Thukral, em Cingapura)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.