Agronegócio

Safra maior e falta de rupias reduzem apetite recorde do Irã por açúcar da Índia

Reuters
Reuters

22 de dezembro de 2020 - 14:55 - Atualizado em 22 de dezembro de 2020 - 15:00

Por Maytaal Angel e Rajendra Jadhav

LONDRES/MUMBAI (Reuters) – A Índia não poderá contar com o Irã, um de seus mais importantes clientes no mercado de açúcar, para suas próximas exportações, uma vez que o aumento da produção na República Islâmica e a escassez de rupias em Teerã tendem a limitar as compras.

O governo indiano concordou na semana passada em subsidiar exportações de até 6 milhões de toneladas de açúcar nesta temporada, com o objetivo de reduzir o excedente de estoques e dar suporte aos preços locais.

Na temporada 2019/20, encerrada em 30 de setembro, o Irã importou um recorde de 1,14 milhão de toneladas de açúcar da Índia, sendo responsável por cerca de 20% dos embarques do adoçante do país, segundo dados alfandegários indianos.

Neste ano, o volume deverá ser significativamente menor, o que tende a pressionar as cotações, uma vez que a Índia perderia compras de um cliente que pagou um prêmio de 4% sobre os preços globais na temporada anterior, disseram fontes do mercado.

“A necessidade de importações do Irã será muito menor (nesta temporada). Eu acho que ficará entre 300 mil e 500 mil toneladas”, disse um operador de uma trading global em Mumbai. Ele pediu para não ser identificado, pois não possui autorização para falar com a imprensa.

Uma autoridade iraniana disse no mês passado à IRNA, agência de notícias do país, que as importações de açúcar da República Islâmica, considerando todos os países de origem, devem totalizar cerca de 500 mil toneladas no ano local, que termina em 21 de março de 2021.

Dados da Organização Internacional do Açúcar (OIA) mostram que os estoques de açúcar do Irã estavam em 723 mil toneladas no início da temporada 2020/21, em outubro, versus 102 mil toneladas no mesmo momento do ano anterior.

A OIA também espera que a produção iraniana avance para 1,85 milhão de toneladas nesta temporada, ante 1,55 milhão de toneladas na anterior.

A falta de rupias também é um problema para o Irã, uma vez que, devido a sanções dos EUA, o país não pode usar dólares norte-americanos para realizar transações com petróleo.

Antes, o Irã tinha um acordo para vender seu petróleo à Índia em troca de rupias, que usava para importar produtos essenciais, incluindo açúcar. Mas a Índia parou de comprar petróleo dos iranianos em maio de 2019, devido às sanções, e as reservas em moeda indiana do Irã foram se esgotando.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.