Agronegócio

Safra de Iowa sofre com maior seca desde 2013

Reuters
Reuters

28 de agosto de 2020 - 16:30 - Atualizado em 28 de agosto de 2020 - 16:35

Por Tom Polansek

CHICAGO (Reuters) – O Estado de Iowa, maior produtor de milho dos Estados Unidos, está enfrentando sua maior seca desde setembro de 2013, disse nesta sexta-feira o secretário de Agricultura local, Mike Naig, em mais um problema para produtores que já sofrem com os danos causados por uma grave tempestade de ventos.

A seca ameaça diminuir ainda mais a produtividade e a qualidade dos grãos, enquanto os agricultores também lutam contra os efeitos da pandemia de Covid-19. A avaliação do tamanho das perdas dependerá da possibilidade de o Estado permanecer com tempo seco, segundo especialistas.

“O desafio aqui, e o que é algo único, é que estamos lidando com condições climáticas adversas em uma área muito ampla no Estado de Iowa”, disse Naig.

A tempestade de ventos “derecho”, ocorrida em 10 de agosto, “acamou” parte do milho e basicamente interrompeu seu desenvolvimento, enquanto as safras afetadas pela seca vão sendo gradualmente prejudicadas, de acordo com Charles Hurburgh, especialista em qualidade de grãos da Universidade Estadual de Iowa.

O órgão de monitoramento de secas dos EUA, elaborado por um consórcio de climatologistas, indicou que 96% de Iowa estava atipicamente seco na terça-feira, ante 88% na semana anterior. Cerca de 61% do Estado sofre de seca moderada a excepcional, contra 45% há uma semana.

“Essa é a maior área com múltiplos problemas que já vi”, disse Hurburgh em uma webcast com Naig.

As perdas causadas pelo “derecho” à safra provavelmente excederam as perdas com silos, acrescentou ele, o que significa que Iowa não deverá sofrer uma crise de armazenamento durante a colheita.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.