Agronegócio

Preços do petróleo sobem com importações da China compensando preocupação com oferta

Reuters
Reuters

13 de outubro de 2020 - 14:39 - Atualizado em 13 de outubro de 2020 - 14:40

Por Ahmad Ghaddar

LONDRES (Reuters) – Os preços do petróleo subiam nesta terça-feira, apoiados por dados robustos da China, embora preocupações sobre o enfraquecimento da demanda em outros países e a retomada da produção na Noruega, Golfo do México e Líbia limitassem os ganhos.

O petróleo Brent subia 0,7 dólar, ou 1,68%, a 42,42 dólares por barril, às 8:30 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos avançava 0,78 dólar, ou 1,98%, a 40,21 dólares por barril.

A China, maior compradora global de petróleo, importou 11,8 milhões de barris por dia (bpd) em setembro, alta de 5,5% ante agosto e de 17,5% frente a setembro do ano passado, mostraram dados nesta terça-feira.

“Atualmente, a demanda por petróleo é guiada principalmente pela China”, disse o Commerzbank.

Por outro lado, medidas restritivas para reduzir a disseminação do coronavírus foram ampliadas no Reino Unido e na República Checa devido ao aumento nos números de casos de Covid-19, enquanto o primeiro ministro francês Jan Castex disse que não pode descartar “lockdowns” locais.

Os preços também eram pressionados pelo lado da oferta, com trabalhadores voltando a plataformas no Golfo do México após o furacão Delta e com a retomada de operários na Noruega após o fim de uma greve. Além disso, a Líbia retirou no domingo um aviso de força maior de seu campo de Sharara.