Agronegócio

Preços do petróleo recuam com medidas contra Covid ameaçando recuperação da demanda

Reuters
Reuters

15 de outubro de 2020 - 14:43 - Atualizado em 15 de outubro de 2020 - 14:45

LONDRES (Reuters) – Os preços do petróleo recuavam nesta quinta-feira, à medida que novas restrições impostas pelo mundo para tentar conter o avanço de infecções por Covid-19 aumentam incertezas sobre as perspectivas de crescimento econômico e de recuperação na demanda por combustíveis.

O petróleo Brent recuava 0,87 dólar, ou 2,01%, a 42,45 dólares por barril, às 8:07 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,92 dólar, ou 2,24%, a 40,12 dólares por barril.

Alguns países europeus têm retomado medidas restritivas e “lockdowns” para tentar impedir o aumento nos novos casos do vírus, e há expectativa de que o Reino Unido imponha restrições mais severas sobre Londres a partir da meia-noite de sexta-feira.

Um terço da população francesa foi colocada sob toque de recolher noturno como medida de combate ao aumento das infecções.

Na Índia, terceiro maior consumidor global de petróleo, o número de casos está a caminho para superar os Estados Unidos, o que tornaria o país o líder em infecções pela Covid-19.

“Se a demanda enfraquecer nitidamente, a Opep+ não terá opção a não ser recuar de seu aumento de produção se ela não quiser arriscar um novo excesso de oferta e outro tombo nos preços”, disse o Commerzbank.

A Opep e aliados, um grupo conhecido como Opep+, tem promovido cortes de oferta de petróleo de cerca de 7,7 milhões de barris por dia, mas as restrições devem ser flexibilizadas em 2 milhões de barris por dia a partir de janeiro.

A Opep+ terá uma reunião em 30 de novembro e 1° de dezembro para definir suas políticas.

(Por Alex Lawler e Ahmad Ghaddar)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519)) REUTERS LC