Agronegócio

Preços do petróleo fecham estáveis após máxima de 2 anos com expectativa de demanda e oferta

Reuters
Reuters

14 de junho de 2021 - 18:01 - Atualizado em 14 de junho de 2021 - 18:05

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo fecharam quase sem mudanças nesta segunda-feira, após atingir as máximas de mais de dois anos, com crescente produção de petróleo nos Estados Unidos e o adiamento da reabertura britânica reduzindo as expectativas de aumento na demanda de combustíveis e oferta apertada.

O mercado reagiu negativamente à previsão do resultado do petróleo de xisto da Administração de Informação de Energia dos EUA (AIE), que conta com mais de dois terços da produção dos EUA. A expectativa era de aumento de cerca de 38 mil barris por dia (bpd) em julho, para cerca de 7,8 milhões bpd.

“Nós começamos com expectativas fortes de que a situação da demanda estava ganhando impulso, com a alta vacinação contra a Covid”, disse Phil Flynn, analista sênior no Grupo de Preços Futuros em Chicago. “E então o relatório da AIE afastou os ventos do veleiro.”

O petróleo Brent fechou em alta de 0,17 dólar, para 72,86 dólares o barril. Mais cedo na sessão, atingiu 73,64 dólares o barril, a máxima desde abril de 2019.

Já o petróleo dos EUA (WTI) recuou 0,03 dólar, para fechar em 70,88 dólares o barril, após atingir mais cedo 71,78 dólares o barril, a máxima desde outubro de 2018.

A Agência Internacional de Energia (IEA) pediu com urgência que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, conhecidos como Opep+, aumente o resultado para equivaler com as demandas.

(Reportagem de Stephanie Kelly em Nova York; reportagem adicional de Bozorgmehr Sharafedin e Aaron Sheldrick)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.