Agronegócio

Preços do petróleo caem 4% diante de novos lockdowns

Reuters
Reuters

25 de março de 2021 - 17:22 - Atualizado em 25 de março de 2021 - 17:25

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo recuaram 4% por barril nesta quinta-feira, com o mercado ampliando sua sequência de desvalorização em meio à imposição de novos lockdowns na Europa e Ásia, que visam conter um aumento na taxa de infecção pelo coronavírus.

As cotações devolveram grande parte dos ganhos da sessão anterior, que vieram na esteira de notícias sobre o encalhe de um grande navio porta-contêineres no Canal de Suez. A embarcação ainda não foi liberada, mas por ora o mercado ignorou o bloqueio, já que apenas uma pequena parcela do petróleo do mundo é transportado por meio do canal.

O petróleo Brent fechou em queda de 2,46 dólares, ou 3,8%, a 61,95 dólares por barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos (WTI) recuou 2,62 dólares, ou 4,3%, para 58,56 dólares o barril.

Países da Europa estão renovando restrições para conter os casos de Covid-19, o que fará com que a demanda na região perca força. A Alemanha, maior economia europeia, registrou o maior aumento no número de casos de coronavírus desde janeiro.

“Alemanha, Itália e outras áreas na zona do euro estão dando passos para trás, e a destruição de demanda é basicamente avassaladora”, disse Bob Yawger, operador do Mizuho em Nova York.

Em partes do oeste da Índia, autoridades determinaram que as pessoas fiquem em casa, uma vez que as infecções pelo coronavírus atingiram o maior nível em cinco meses.

A distribuição de vacinas nos EUA tem sido mais rápida do que na maioria dos países, mas especialistas em saúde temem que as viagens no “spring break” (período de recesso na primavera local) gerem um novo aumento no número de casos de Covid-19 no país.

(Reportagem adicional de Bozorgmehr Sharafedin em Londres, Sonali Paul, Aaron Sheldrick e Roslan Khasawneh em Cingapura)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.