Agronegócio

Preços do açúcar se recuperam na ICE; café também sobe

Reuters
Reuters

25 de maio de 2021 - 20:39 - Atualizado em 25 de maio de 2021 - 20:40

Por Marcelo Teixeira e Nigel Hunt

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do açúcar bruto fecharam em alta na ICE nesta terça-feira, em uma reação após a mínima de um mês registrada na sessão anterior, enquanto os preços do café arábica também avançaram.

AÇÚCAR

* O açúcar bruto para julho fechou em alta de 0,21 centavos de dólar, ou 1,2%, em 17,04 centavos de dólar por libra-peso, estendendo a recuperação da mínima de 16,54 da segunda-feira.

* Operadores disseram que preocupações sobre o clima seco no Brasil permanecem dando suporte ao mercado, apesar de chuvas muito necessárias serem esperadas para os próximos dias.

* A recuperação pode ser limitada, no entanto, pelas expectativas de que os bloqueios na Índia para conter a disseminação da Covid-19 provavelmente reduzirão a demanda por açúcar no maior consumidor mundial.

* O açúcar branco para agosto fechou em alta de 6,50 dólares, ou 1,4%, em 455,90 dólares a tonelada.

CAFÉ

* O café arábica para julho fechou em alta de 1,5 centavos de dólar, ou 1,0%, em 1,505 dólar por libra-peso.

* Operadores afirmaram que o mercado estava sustentado pelas condições secas no Brasil, principal produtor, que poderia diminuir a produção no maior exportador do mundo.

* Produtores do café brasileiro devem colher 48,8 milhões de sacas de 60 quilos este ano, 22% menos que em 2020 e a produção mínima desde 2018, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgados nesta terça-feira.

* Cafeicultores do Brasil estão tentando renegociar seus contratos de venda com exportadores e traders a preços mais altos, gerando temor na indústria quanto à inadimplência.

* O governo da Colômbia e um comitê nacional de greve unindo grandes sindicatos e grupos estudantis chegaram nesta segunda-feira a um “pré-acordo” em que o governo disse que espera levar a uma conversa para terminar os protestos difundidos de quase um mês.

* O café robusta para julho fechou em alta de 10 dólares, ou 0,7%, em 1.488 dólares a tonelada.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Nigel Hunt)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.