Agronegócio

Preços da carne suína sobem na China com menor quantidade de animais para abate

Reuters
Reuters

25 de junho de 2021 - 08:20 - Atualizado em 25 de junho de 2021 - 08:25

XANGAI (Reuters) – Os contratos futuros do suíno vivo negociados na China avançaram mais de 5% nesta sexta-feira, apoiados por preços mais altos no mercado “spot” e pela menor quantidade de animais pesados enviados para abate, disseram analistas.

Os preços do suíno vivo na bolsa de commodities de Dalian fecharam em alta de 5,3%, a 18.925 iuanes (2.932,84 dólares) por tonelada. Mais cedo, chegaram a atingir a marca de 18.940 iuanes, maior nível em uma semana.

“Parece que o número de grandes suínos para abate está diminuindo, então os preços do porco começaram a se recuperar nos últimos dias”, disse o diretor de pesquisas da China-America Commodity Data Analytics, Yuan Song.

Anúncios recentes realizados por entidades estatais chinesas também deram uma dose de confiança ao mercado, acrescentou Song.

Na semana passada, a agência estatal de planejamento da China pediu que produtores de suínos do país mantenham a capacidade de produção em níveis razoáveis, acrescentando que vai “monitorar de perto a produção de suínos e as tendências de preços no mercado” e “conduzir ajustes de reservas de forma apropriada”.

Após a publicação do comunicado da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês), a associação da indústria de produção de animais do país –que possui apoio do governo– pediu que os suinocultores não entrem em pânico.

(Reportagem de Emily Chow)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.