Agronegócio

Petróleo tem máxima de 11 meses e alta na semana com corte de oferta saudita

Reuters
Reuters

8 de janeiro de 2021 - 19:51 - Atualizado em 8 de janeiro de 2021 - 19:55

Por Laila Kearney

NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo atingiram o maior nível em quase um ano nesta sexta-feira, acumulando alta de 8% na semana, apoiados por uma promessa de cortes de produção pela Arábia Saudita e por fortes ganhos nos mercados acionários.

O petróleo Brent fechou em alta de 1,61 dólar, ou 3%, a 55,99 dólares por barril, avançando 8,1% na semana. Já o petróleo dos Estados Unidos (WTI) subiu 1,41 dólar, ou 2,8%, para 52,24 dólares o barril, mais alto patamar desde o final de fevereiro. O WTI teve ganho semanal de 7,7%.

Nesta semana, a Arábia Saudita prometeu cortes de produção extras e voluntários de 1 milhão de barris por dia em fevereiro e março, como parte de um acordo sob o qual a maior parte dos países da aliança Opep+ manterá o bombeamento estável durante a imposição de novos lockdowns.

O reino, líder da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), discordava de alguns outros países, que desejavam aumentar a produção para impedir que empresas norte-americanas de “shale” (petróleo não convencional) capturem mais participação no mercado.

Ao final, um acordo foi fechado permitindo que a Rússia e outros países ampliem produção enquanto os sauditas restringem sua oferta.

“Nesta semana, os sauditas tomaram à frente para assumir o controle do mercado e a responsabilidade pela estabilização dos preços”, disse John Kilduff, sócio da Again Capital em Nova York. “Parece que eles estão novamente na missão de fazer os preços voltarem a subir.”

(Reportagem adicional de Bozorgmehr Sharafedin, em Londres, e Yuka Obayashi, em Tóquio)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447745))

REUTERS GA LC

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.