Agronegócio

Paraná ajusta projeção de safra de soja 2020/21 para baixo a 20,34 mi t

Em relação à safra anterior, o resultado representa queda de 2%, disse o órgão ligado ao governo paranaense

Reuters
Reuters
Paraná ajusta projeção de safra de soja 2020/21 para baixo a 20,34 mi t
Foto: Pixabay

25 de fevereiro de 2021 - 16:13 - Atualizado em 25 de fevereiro de 2021 - 16:15

Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) – A safra de soja do Paraná deve alcançar 20,34 milhões de toneladas na temporada 2020/21, estimou o Departamento de Economia Rural (Deral) nesta quinta-feira, com um leve ajuste negativo ante os 20,39 milhões projetados no mês passado.

Em relação à safra anterior, o resultado representa queda de 2%, disse o órgão ligado ao governo paranaense.

Segundo o economista do Deral Marcelo Garrido, a revisão nas estimativas veio em função da conjuntura negativa que afetou as lavouras do Estado: atraso no plantio, seca e depois excesso de chuvas.

“O clima nas últimas semanas foi propício para a colheita… ela está bem atrasada em comparação com anos anteriores e o produtor está tentando recuperar esse tempo, a torcida é que nas próximas semanas tenha um clima mais seco para que ele possa dar continuidade à colheita”, afirmou.

As regiões produtoras do Estado deverão ter chuvas até a próxima segunda-feira, segundo dados da Refinitiv, mas algumas áreas verão precipitações abaixo da média, como é o caso do noroeste, oeste e centro-sul.

A colheita de soja 2020/21 no Paraná atingiu 8% da área plantada na terça-feira, avanço de 5 pontos percentuais em relação à semana anterior, porém abaixo dos 22% vistos no mesmo período de 2019/20, de acordo com o Deral.

Nas últimas cinco temporadas, o resultado mais próximo do atual para a colheita desta época do ano foi visto em 2017/18, quando os trabalhos estavam em 9% das áreas.

A primeira safra de milho foi estimada em 3,17 milhões de toneladas, ante 3,36 milhões vistos em janeiro. Na comparação com 2019/20, o recuo é de 11%.

“A redução é em decorrência da estiagem no início do plantio e durante o desenvolvimento da lavoura, juntamente com doenças e pragas”, afirmou o analista do Deral Edmar Gervásio.

Ele disse ainda que os relatos de produtores coletados no campo alertam que o Estado pode ter ainda mais perdas de produtividade na primeira safra do cereal, à medida que avança a colheita.

Já a “safrinha” do cereal deve atingir 13,55 milhões de toneladas, uma leve baixa ante os 13,58 milhões projetados no mês passado, mas avanço de 14% na variação anual, informou o Deral.

“A projeção é a estimativa inicial, considerando o potencial das lavouras… basicamente, se não ocorrer problemas durante a segunda safra”, disse Gervásio, lembrando que a safrinha da temporada anterior foi marcada por questões climáticas.

(Por Nayara Figueiredo)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.