Agronegócio

Milho tem máxima de 7 anos e meio em Chicago com fortes vendas para a China

Reuters
Reuters

29 de janeiro de 2021 - 20:22 - Atualizado em 29 de janeiro de 2021 - 20:25

Por Julie Ingwersen

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do milho negociados em Chicago avançaram mais de 2% e atingiram uma máxima de múltiplos anos nesta sexta-feira, após a China realizar sua maior compra do cereal norte-americano até o momento, alimentando expectativas de aperto na oferta global.

Os futuros do trigo também subiram cerca de 2%, acompanhando o movimento de alta do milho, enquanto a soja se firmou.

O contrato março do milho fechou em alta de 12,50 centavos de dólar, a 5,47 dólares por bushel, depois de tocar a marca de 5,5375 dólares, maior valor para o vencimento mais ativo desde junho de 2013, em gráfico contínuo.

O trigo para março avançou 16 centavos de dólar, para 6,63 dólares o bushel, e o vencimento março da soja subiu 16,75 centavos, a 13,70 dólares/bushel.

No mês de janeiro, o milho apurou alta de 63 centavos por bushel, ou 13%, incluindo um ganho de 46,50 centavos na última semana. A soja avançou 4,5% no mês, e o trigo teve alta de 4,4%.

Nesta sexta, os futuros do milho dispararam após o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês), confirmar vendas privadas de 2,108 milhões de toneladas do cereal norte-americano para a China. Esse é o segundo maior anúncio diário de vendas de milho da história, atrás somente de um negócio de 3,72 milhões de toneladas para a União Soviética em 1991.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz, em Paris, e Enrico Dela Cruz, em Manila)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.