Agronegócio

Milho, soja e trigo têm forte alta em Chicago com previsões de calor nos EUA

Reuters
Reuters

28 de junho de 2021 - 18:37 - Atualizado em 28 de junho de 2021 - 18:40

Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os preços do milho, soja e trigo negociados em Chicago fecharam em forte alta nesta segunda-feira, com operadores focados nas previsões para o calor no Meio-Oeste ocidental norte-americano, que deve secar rapidamente os solos nas maiores áreas de produção.

“As previsões futuras indicam que o calor que está atualmente no noroeste do Pacífico se moverá sobre o cinturão ocidental do milho no início da próxima semana e até irá alcançar partes do Estado de Iowa no fim da próxima semana” afirmou Charlie Sernatinger, diretor mundial de futuros de grãos na ED&F Man Capital, em nota a clientes.

O milho para entrega em dezembro fechou em alta de 28 centavos de dólar, para 5,4725 dólares o bushel. O contrato obteve suporte técnico na sua média móvel de 100 dias.

Já a soja para novembro fechou em alta de 42,75 centavos de dólar, para 13,1250 dólares o bushel e rompeu a média móvel de 10 dias pela primeira vez em duas semanas.

O trigo soft de inverno fechou em alta de 10,75 centavos de dólar, para 6,5150 dólares o bushel.

O trigo de primavera negociado em Mineápolis para entrega em setembro obteve ganhos de 27 centavos de dólar, para 8,35 dólares. O contrato do primeiro mês atingiu a máxima dos preços desde maio de 2013, com traders observando alguns relatos de que os agricultores das Planícies do norte estavam abandonando alguns acres danificados pela seca ou cortando-os para feno.

Traders aguardam informações importantes sobre área plantada e estoque norte-americanos, que serão divulgadas na quarta-feira pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês).

(Reportagem de Mark Weinraub em Chicago, reportagem adicional de Michael Hogan em Hamburgo e Naveen Thukral em Cingapura)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.