Agronegócio

Milho recua em Chicago após semana volátil; trigo e soja também caem

Reuters
Reuters

28 de maio de 2021 - 20:14 - Atualizado em 28 de maio de 2021 - 20:15

Por Christopher Walljasper

CHICAGO (Reuters) – Os futuros do milho negociados em Chicago recuaram nesta sexta-feira, após uma forte recuperação de mais de 6% na véspera, quando o mercado pesou a forte demanda da China diante das condições das lavouras nos Estados Unidos.

O trigo e a soja também fecharam em queda, enquanto os contratos futuros do trigo de primavera negociados em Mineápolis (MGEX) subiram com uma frente fria que atingiu a maior parte do Meio-Oeste dos Estados Unidos, trazendo geada para as grandes planícies do norte.

Os participantes do mercado também ajustaram posições antes do fim de semana seguido por feriado nos Estados Unidos, uma vez que o mercado estará fechado na segunda-feira.

O contrato mais ativo de milho negociado em Chicago fechou em queda de 7,75 centavos de dólar, a 6,5675 dólares por bushel, recuando 2,75 centavos de dólar na semana.

O trigo caiu 12,75 centavos, para 6,6350 dólares por bushel, perdendo 10,75 centavos na semana, a terceira consecutiva de perdas.

A soja recuou 6,50 centavos de dólar, para 15,3050 dólares por bushel, mas subiu 4,25 centavos de dólar na semana.

Os futuros do milho variaram fortemente esta semana, com rumores de cancelamento de compras chinesas de antigas safras, apesar de o Departamento de Agricultura dos EUA ter confirmado na quinta-feira mais de 5,6 milhões de toneladas de vendas da nova safra para a China, sem mostrar cancelamentos de grande escala. [EXP/CORN]

O contrato mais ativo do trigo de primavera na Bolsa de Mineápolis (MGEX), para julho, fechou em alta de 10,25 centavos de dólar, a 7,2750 dólares por bushel.

(Por Christopher Walljasper em Chicago; Reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.