Agronegócio

Milho e soja se firmam em Chicago após 4 dias de queda; trigo recua

Reuters
Reuters

25 de setembro de 2020 - 17:01 - Atualizado em 25 de setembro de 2020 - 17:05

Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do milho e da soja negociados em Chicago avançaram nesta sexta-feira, recuperando-se de quatro dias de quedas, em meio a uma rodada moderada de compras de barganha, disseram operadores.

O trigo, por outro lado, terminou a sessão em baixa, pressionado pela valorização do dólar, fator que torna as ofertas norte-americanas do cereal mais caras para compradores externos.

A soja acumulou queda de 4,1% nesta semana, maior declínio semanal desde meados de março, enquanto o milho perdeu 3,6% no período, maior desvalorização em uma semana desde o início de abril.

As quedas levaram alguns investidores a ajustar posições antes do final de semana, embora os ganhos tenham sido limitados pelas expectativas de aceleração no ritmo da colheita dos Estados Unidos nos próximos dias.

“Estamos vendo uma dose de ajustes”, disse Jim Gerlach, presidente da A/C Trading. “Ficaria surpreso se conseguirem manter esse nível, porque vai ser uma grande semana para a colheita.”

O contrato novembro da soja fechou em alta de 2,50 centavos de dólar, a 10,0250 dólares por bushel. O milho para dezembro avançou 1,75 centavo, para 3,6525 dólares o bushel.

O vencimento dezembro do trigo teve queda de 5,50 centavos, a 5,4450 dólares/bushel. Na semana, o cereal teve baixa de 5,4%.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz, em Paris, e Naveen Thukral, em Cingapura)