Agronegócio

Importação de carne suína pela China em novembro cresce 44% na comparação anual

Reuters
Reuters

23 de dezembro de 2020 - 13:29 - Atualizado em 23 de dezembro de 2020 - 13:30

PEQUIM (Reuters) – A China importou 330 mil toneladas de carne suína em novembro, mostraram dados de alfândega nesta quarta-feira, um aumento de 43,7% na comparação anual, segundo cálculos da Reuters, com o maior consumidor de carne do mundo se abastecendo após uma forte queda em sua produção própria.

A produção chinesa de carne suína desabou após uma epidemia de peste suína africana que dizimou o rebanho do país durante 2018 e 2019. Embora a produção tenha se recuperado rápido, a China ainda sofre com escassez da carne preferida entre sua população.

As importações nos primeiros 11 meses do ano somaram 3,95 milhões de toneladas, segundo a Administração Geral de Alfândegas, mais que o dobro importado pelo país no mesmo período do ano anterior, segundo cálculos da Reuters.

Em novembro, as importações ficaram estáveis na comparação com o mês anterior (330 mil toneladas).

As importações de carne bovina em novembro recuaram 9,1% na comparação anual, para 170 mil toneladas, segundo cálculos da Reuters. No ano, elas acumulam 1,91 milhão de toneladas.

(Por Hallie Gu e Shivani Singh)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.