Agronegócio

Governo eleva previsão de VBP do Brasil a recorde de R$1,11 tri em 2021

Reuters
Reuters

14 de junho de 2021 - 18:22 - Atualizado em 14 de junho de 2021 - 18:25

SÃO PAULO (Reuters) – O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Brasil deverá atingir um recorde de 1,11 trilhão de reais em 2021, impulsionado pelos fortes aumentos nos preços reais de arroz, milho, soja e carne bovina, disse o Ministério da Agricultura nesta segunda-feira.

A estimativa representa alta de 11,8% em relação ao dado de 2020, e também fica acima da marca projetada pelo governo federal no mês passado para 2021, que atingia 1,076 trilhão de reais.

A pasta projetou um aumento de 15,8% no VBP das lavouras, diante de acréscimos significativos nas estimativas para soja –principal produto de exportação do Brasil, que deve apurar alta de 31,9%–, milho (+20,3%) e trigo (+35,1%).

Já a pecuária deve verificar avanço de 3,8% na comparação anual. Tanto lavouras quanto pecuárias, disse o ministério, atingirão os maiores patamares da série histórica de 32 anos.

Segundo a pasta, o crescimento do VBP pode ser atribuído ao desempenho visto como “excepcional” das exportações de soja e carnes, além dos preços favoráveis e à safra de grãos, mesmo diante dos impactos da seca sobre a produção.

“Apesar de terem existido períodos de seca que afetaram lavouras, como milho e feijão, os preços têm contribuído para reduzir esse impacto”, afirmou a pasta em nota, destacando que a segunda safra de milho foi especialmente prejudicada. “Esses efeitos foram sentidos, principalmente, no Paraná e em Mato Grosso.”

No front negativo, o coordenador de Avaliação de Políticas e Informação da Secretaria de Política Agrícola do ministério, José Garcia Gasques, fez menção a grupos como café (-17,7%), laranja (-5%) e suínos (-3,8%). Segundo ele, esses impactos decorrem de menores preços ou menores quantidades produzidas.

(Por Gabriel Araujo)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.