Agronegócio

Farelo de soja despenca na China por preocupações com peste suína africana

Reuters
Reuters

26 de fevereiro de 2021 - 16:22 - Atualizado em 26 de fevereiro de 2021 - 16:25

PEQUIM/XANGAI (Reuters) – Os contratos futuros do farelo de soja negociados na China recuaram quase 5% nesta sexta-feira, apurando a maior queda em oito anos, diante de movimentos de realização de lucros e à medida que novos surtos de peste suína africana geram preocupações com a demanda.

Os futuros mais ativos do farelo de soja na bolsa de commodities de Dalian, para entrega em maio, cederam 4,86%, a 3.485 iuanes (539,57 dólares) por tonelada, após quatro dias de ganhos, em meio a temores de que novos casos da doença suína prejudiquem a demanda pelo ingrediente de ração.

“Os preços estavam subindo principalmente porque os carregamentos de soja serão limitados em março, e as pessoas não achavam que os surtos de peste suína africana fossem tão graves”, disse o gerente de uma produtora de carnes do norte da China.

“Mas, à medida que mais pesquisas foram realizadas pelo setor, o mercado descobriu que a doença é realmente muito ruim”, acrescentou o gerente, que pediu para não ser identificado por não ter autorização para falar com a imprensa.

É esperado que as processadoras de soja da China reduzam operações em março, devido às ofertas limitadas em função das chuvas no Brasil, que atrasaram a colheita e os embarques da oleaginosa do maior exportador global.

“Há também uma dose de realização de lucros, o que é bastante normal”, disse Wang Xiaoyang, analista sênior da Sinolink Futures.

“Além disso, a peste suína africana é de fato muito grave, e há sinais de que os surtos estão se espalhando de norte a sul”, afirmou Xiaoyang.

(Reportagem de Hallie Gu, em Pequim, e Emily Chow, em Xangai)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.