Agronegócio

EUA registram maior compra de milho pela China desde 1º de setembro

Reuters
Reuters

14 de setembro de 2020 - 13:49 - Atualizado em 14 de setembro de 2020 - 13:50

Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Compradores chineses realizaram sua maior aquisição de milho dos Estados Unidos desde 1º de setembro, informou nesta segunda-feira o Departamento de Agricultura norte-americano (USDA, na sigla em inglês), depois de um período em que os importadores mantiveram suas atenções voltadas à soja.

O USDA afirmou que exportadores privados dos EUA relataram a venda de 350 mil toneladas de milho à China para entrega no ano comercial de 2020/21, na maior transação desde as 596 mil toneladas vendidas em 1º de setembro.

O governo norte-americano também disse que uma venda de 140 mil toneladas de milho anunciada em 27 de agosto, que havia sido classificada com destino desconhecido, foi corrigida para destinação à China.

O Ministério da Agricultura chinês elevou suas estimativas para importações de milho a 7 milhões de toneladas tanto para 2019/20 quanto para 2020/21, impulsionadas pelas grandes compras junto aos EUA, segundo um relatório publicado em seu website no sábado.

Dados do USDA indicam que a China já se comprometeu a adquirir cerca de 9 milhões de toneladas de milho dos EUA para 2020/21, o que representará um novo recorde caso todo o volume seja de fato embarcado. Em 2019/20, o país asiático importou 2,11 milhões de toneladas de milho dos EUA.

O USDA também anunciou nesta segunda-feira uma venda de 129 mil toneladas de soja para a China para entrega em 2020/21, no sétimo dia consecutivo com anúncios de vendas de soja para a maior compradora global da oleaginosa.

A China prometeu importar anualmente 36,5 bilhões de dólares de produtos agrícolas norte-americanos, como parte da fase 1 do acordo comercial assinado pelos países em janeiro. Nos sete primeiros meses do ano, as compras pelo país asiático somaram apenas 8,559 bilhões de dólares, de acordo com dados comerciais do Departamento de Censo dos EUA.