Agronegócio

Dólar fecha em queda de 0,93%, a R$5,037

Reuters
Reuters

4 de junho de 2021 - 17:18 - Atualizado em 4 de junho de 2021 - 17:20

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar fechou numa mínima em um ano nesta sexta-feira, quando engatou terceiro pregão de firme queda que levou a cotação à casa de 5,03 reais, com o câmbio repercutindo um rali global de ativos de risco que intensifica nos negócios o efeito do otimismo em curso sobre o Brasil.

O movimento global pró-risco foi deflagrado por dados mais fracos do mercado de trabalho dos Estados Unidos, os quais esfriarem expectativas de que o banco central dos EUA retire estímulos de forma precoce. Mantidos esses estímulos, mantém-se a liquidez farta que pode fluir para mercados emergentes como o Brasil.

O dólar à vista caiu 0,93%, a 5,037 reais na venda. É o menor patamar desde 10 de junho de 2020 (4,9398 reais).

A divisa oscilou durante a sessão de 5,109 reais (+0,49%) a 5,033 reais (-1,01%).

Na semana, o dólar perdeu 3,41% –a segunda consecutiva de queda e mais intensa desde a semana finda em 7 de maio (-3,75%). Em junho, a moeda recua 3,61%, aprofundando a queda em 2021 para 2,98%.

Outros mercados também reagiram bem. O Ibovespa chegou a superar os 130 mil pontos e, mesmo fechando abaixo dessa linha, cravou novo recorde (segundo dados preliminares). Os juros futuros chegaram ao fim da sessão em queda de 10 pontos-base. Em Nova York, Wall Street teve um rali, com os índices muito perto de máximas históricas.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.