Agronegócio

Demanda por farelo e óleo de soja do Brasil avança com greve na Argentina, diz Abiove

Reuters
Reuters

29 de dezembro de 2020 - 17:16 - Atualizado em 29 de dezembro de 2020 - 17:20

SÃO PAULO (Reuters) – Uma paralisação nas atividades portuárias e de processamento de grãos na Argentina desde 9 de dezembro tem feito com que a demanda externa por óleo e farelo de soja se incline para um de seus principais concorrentes, o Brasil, disse nesta terça-feira a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

O óleo é uma das matérias-primas utilizadas para a fabricação de biodiesel, enquanto o farelo é amplamente procurado pela indústria de carnes, para alimentação animal.

“As paralisações na Argentina estão favorecendo a demanda por farelo e óleo do Brasil”, disse a Abiove em nota à Reuters.

Quanto às compras brasileiras dos dois produtos, a entidade afirmou que há relatos de problemas pontuais de importação, mas sem nenhum risco para o abastecimento doméstico nos mercados de alimentos e biodiesel.

Sindicatos argentinos e empresas agroexportadoras disseram que buscarão chegar a um acordo nesta terça-feira em uma reunião para tentar encerrar a greve por reivindicações salariais que causou atrasos significativos nos embarques agrícolas do país sul-americano.

As atividades portuárias e de processamento de grãos da Argentina, um importante fornecedor de alimentos, foram afetadas quando dois sindicatos de trabalhadores da indústria processadora e o sindicato de trabalhadores técnicos portuários Urgara lançaram uma greve simultânea.

Os carregamentos de 162 navios estão atrasados em portos de grãos e produtos agroindustriais da Argentina, afetando embarques avaliados em 1,458 bilhão de dólares, disse nesta terça-feira uma analista de mercados da Bolsa de Comércio de Rosario (BCR).

(Reportagem de Roberto Samora)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.