Agronegócio

Colheita de soja da Argentina acelera com condições mais secas, diz bolsa

Reuters
Reuters

29 de abril de 2021 - 19:41 - Atualizado em 29 de abril de 2021 - 19:45

BUENOS AIRES (Reuters) – O ritmo da colheita de soja 2020/21 da Argentina acelerou na última semana, apoiado pelas condições climáticas mais secas, disse a Bolsa de Cereais de Buenos Aires (BdeC) nesta quinta-feira, acrescentando que, apesar disso, ainda registra um atraso significativo em relação ao ciclo anterior.

Nas primeiras semanas de março, chuvas intensas dificultaram o acesso das colheitadeiras aos campos da principal região agrícola da Argentina, que tem a produção da oleaginosa estimada pela BdeC em 43 milhões de toneladas.

Mas segundo o relatório semanal de cultivos da bolsa, a colheita de soja avançou 14,4 pontos percentuais nos últimos sete dias, atingindo 32,9% da área plantada com o grão, vista em 17,2 milhões de hectares.

“Condições favoráveis permitiram a retomada dos trabalhos de colheita no centro do país”, disse a BdeC em seu informativo, acrescentando que “as condições agroclimáticas dos próximos dez dias serão determinantes”.

Em relação à safra de milho 2020/21, cuja produção deve alcançar 46 milhões de toneladas, a bolsa disse que a colheita avançou apenas 2,5 pontos percentuais nos últimos sete dias, pois os produtores estão dando prioridade à oleaginosa.

A janela de colheita do milho é muito mais extensa que a da soja, e até o momento os trabalhos atingem 19,5% da área semeada com o cereal.

(Reportagem de Maximilian Heath)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.