Agronegócio

Colheita chega à metade das áreas de soja em MT; chuva ainda afeta trabalhos

Reuters
Reuters

26 de fevereiro de 2021 - 18:37 - Atualizado em 26 de fevereiro de 2021 - 18:40

Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) – A colheita de soja 2020/21 atingiu 52,14% das áreas cultivadas em Mato Grosso, maior Estado produtor da oleaginosa no Brasil, informou nesta sexta-feira o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em meio ao atraso ante ciclos anteriores e efeitos negativos de chuvas nas lavouras.

No comparativo semanal, houve um crescimento relevante em relação aos 34,51% observados até a última sexta-feira.

Ainda assim, os trabalhos estão 31,96 pontos percentuais atrás do registrado no mesmo período de 2019/20 e 17,59 pontos abaixo da média histórica.

“Apesar da aceleração (da colheita) na semana, a chuva tem causado alguns transtornos no Estado, principalmente em algumas regiões como o centro-sul de Mato Grosso”, disse à Reuters o gerente de inteligência de mercado do Imea, Cleiton Gauer.

Ele acredita que as precipitações devem continuar impactando o andamento dos trabalhos, com efeitos diferentes para cada região.

“Acaba interrompendo os trabalhos e pelos volumes (de chuva) que são projetados nas próximas semanas, tende a ser um volume significativo e deve continuar desacelerando esse processo (de colheita) no Estado”, estimou.

Mesmo nessas condições, os agricultores precisarão colher a oleaginosa, e por isso devem entrar com as colheitadeiras em campo caso suja qualquer oportunidade climática, afirmou Gauer.

“Temos observado produtores colhendo mesmo com umidade elevada, para não perder a janela de plantio do milho”, acrescentou.

O plantio de milho segunda safra também superou a metade das áreas mato-grossenses, com 54,66%, crescimento consistente ante os 35,96% registrados na semana anterior, informou o instituto.

No mesmo período da safra passada, este percentual já estava em 91,96%, enquanto a média histórica é de 80,06%.

O algodão está com a semeadura praticamente concluída, com 99,48% das áreas plantadas, ante 95,45% na semana anterior. Os produtores conseguiram recuperar o atraso em relação à média histórica, de 99,84%. Em 2019/20 o plantio da pluma já estava encerrado nesta época.

(Por Nayara Figueiredo)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.