Agronegócio

CMN reduz juros de créditos do Funcafé em incentivo à produção e vendas do setor

Reuters
Reuters

27 de agosto de 2020 - 20:02 - Atualizado em 27 de agosto de 2020 - 20:05

SÃO PAULO (Reuters) – O Conselho Monetário Nacional (CMN) reduziu em 0,75 ponto percentual as taxas de juros das operações de crédito rural aplicadas ao Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), informou o órgão nesta quinta-feira.

A medida tem “vistas a incentivar a produção e comercialização do café”, disse o CMN em comunicado.

Segundo o conselho, pela nova proposta as linhas de créditos para custeio, comercialização, financiamento de aquisição de café (FAC) por cooperativas e recuperação de cafezais tiveram as taxas reduzidas de até 6,0% ao ano para até 5,25% ao ano.

O crédito rural para FAC por demais tomadores e para capital de giro para indústrias passou a ser de até 6,75% ao ano, enquanto a linha de crédito para remuneração do Funcafé foi reduzida a 2,25% ao ano.

Em 2020, o valor total autorizado para o Funcafé atingiu 5,71 bilhões de reais, de acordo com informações do Ministério da Agricultura.

(Por Gabriel Araujo)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.