Agronegócio

China deve usar reservas de carne suína para estabilizar o mercado

Reuters
Reuters

9 de junho de 2021 - 16:20 - Atualizado em 9 de junho de 2021 - 16:25

Por Hallie Gu e Dominique Patton

PEQUIM (Reuters) – O planejamento do Estado da China afirmou nesta quarta-feira que almeja usar reservas estatais de carne de porco para estabilizar a produção e os preços os suínos, após uma queda de mais de 50% nos preços das carnes suína desde o início do ano.

A indústria de carne de porco da China está se recuperando de um surto mortal da peste suína africana que devastou o plantel durante 2018 e 2019. Porém os preços este ano caíram muito mais que o esperado, segundo analistas.

Os preços do porcos atuais, de cerca de 15,6 iuanes (2,44 dólares) por quilo, estão abaixo do ponto de equilíbrio para muitos produtores, o que poderia empurrar alguns para fora dos negócios e afetar substancialmente de oferta posteriormente, conforme afirmou Li Ming, analista da Myagric.com.

“O risco de que o mercado estará bem volátil é alto”, afirmou ele.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês) afirmou que planeja melhorar a forma que as reservas de carne de porco operam, para ajudar a estabilizar a produção de porco e os preços de carne suína.

(Hallie Gu e Dominique Patton)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.