Agronegócio

Café arábica fecha em queda na ICE após tocar máxima de mais de 1 ano

Reuters
Reuters

24 de fevereiro de 2021 - 20:09 - Atualizado em 24 de fevereiro de 2021 - 20:10

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do café arábica negociados na ICE avançaram nesta quarta-feira para o maior nível em mais de um ano, antes de alguns movimentos de realização de lucros reduzirem os ganhos e levarem a commodity a fechar em baixa.

Os futuros do açúcar bruto não tiveram direção comum, com alguns investidores rolando posições no contrato março para o maio antes do vencimento daquele, na sexta-feira.

CAFÉ

* O contrato maio do café arábica fechou em queda de 1,05 centavo de dólar, ou 0,8%, a 1,3725 dólar por libra-peso, após atingir máxima de 1,3960 dólar na sessão, maior nível em mais de um ano.

* Operadores disseram que o mercado tem sido impulsionado, em parte, pelo tempo mais seco que o normal no Brasil, o que afetou as perspectivas para a próxima safra do maior exportador da commodity no mundo. Além disso, também citaram uma escassez global de contêineres para transporte.

* Os estoques certificados pela bolsa seguem em alta, totalizando 1,76 milhão de sacas nesta quarta-feira, com o café do Brasil atingindo 770 mil sacas.

* A Colômbia deve produzir 6,06 milhões de sacas de 60 kg de café no primeiro semestre deste ano, disse a Federação Nacional de Cafeicultores, ficando abaixo do patamar visto em igual período do ano passado por efeitos climáticos.

* O café robusta para maio avançou 3 dólares, ou 0,2%, para 1.463 dólares a tonelada, depois de tocar a marca de 1.479 dólares, também o mais alto nível em mais de um ano.

AÇÚCAR

* O contrato maio do açúcar bruto fechou em alta de 0,16 centavo de dólar, a 17,17 centavos de dólar por libra-peso, avançando em direção à máxima de quase quatro anos, de 17,52 centavos, vista na terça-feira.

* Operadores destacaram que o contrato março continuou volátil antes de seu vencimento, na sexta-feira, com o prêmio para maio recuando a 1,00 centavo, versus fechamento a 1,31 centavo na sessão anterior.

* Uma grande entrega é esperada, com os contratos em aberto somando 51.486 lotes em 23 de fevereiro, o que equivale a cerca de 2,6 milhões de toneladas de açúcar, embora novas liquidações de posições sejam esperadas antes do vencimento.

* O açúcar branco para maio subiu 2,10 dólares, ou 0,5%, para 480,50 dólares por tonelada.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Nigel Hunt)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.