Agronegócio

Brasil avalia isenção temporária de importação de arroz, milho e soja, diz governo

Reuters
Reuters

27 de agosto de 2020 - 11:42 - Atualizado em 27 de agosto de 2020 - 11:45

SÃO PAULO (Reuters) – O Brasil avalia a possibilidade de isentar temporariamente de tarifas importações de arroz, milho e soja de países que não são membros do Mercosul para equilibrar o mercado doméstico e impedir aumentos de preços, informou nesta quinta-feira o Ministério da Agricultura.

A medida, que envolveria inclusão temporária desses produtos na Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum (LETEC), tem sido considerada pela secretaria de Política Agrícola da pasta, disse o ministério em nota nesta quinta-feira.

A informação, repassada em nota à Reuters, veio após o jornal Valor Econômico ter publicado mais cedo que o país deve retirar a tarifa e que a iniciativa pode ser deliberada pelo Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior ainda nesta quinta-feira.

O ministério disse que “essa proposta deverá entrar na pauta da Gecex em setembro”.

Segundo a pasta, a medida tem “apoio do setor produtivo” e visa “equilibrar o mercado doméstico e impedir o aumento de preços de produtos da cesta básica”.

“Caso aprovada, a adoção dessa medida teria caráter preventivo, visto que não há sinais de desabastecimento e nem há necessidade de importação desses produtos pelo Brasil”, acrescentou o ministério, citando o secretário de política agrícola César Halum.

Os preços dos produtos agrícolas estão em alta no Brasil, pressionados entre outros fatores pela alta do dólar. No caso da soja, o país embarcou volumes expressivos nos últimos meses e os estoques estão relativamente baixos.

Os preços da soja já superaram 130 reais por saca no porto de Paranaguá (PR) neste mês e se aproximam do recorde em termos reais (deflacionados), conforme levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

(Por Luciano Costa)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.