Agronegócio

Argentina planeja aumentar exportação de carnes em 33% em três anos

Reuters
Reuters

16 de novembro de 2020 - 17:01 - Atualizado em 16 de novembro de 2020 - 17:05

Por Maximilian Heath

BUENOS AIRES (Reuters) – Unidades de processamento de carnes da Argentina vão investir 187 milhões de dólares com o objetivo de ampliar as exportações do país em 33% nos próximos três anos, para 1,2 milhão de toneladas por ano, disse o diretor de um grupo comercial local em conferência com autoridades do governo do país nesta segunda-feira.

A Argentina é uma grande exportadora de carne bovina e tem a China como principal cliente. O governador da província de Buenos Aires, região que abriga muitas das instalações de processamento de carnes do país, disse que a expansão de produção é focada especialmente em atender ao mercado chinês, destino de 73% das exportações de carnes da Argentina nos nove primeiros meses de 2020.

“Esse projeto inclui fábricas que lidam com diferentes estágios do que os exportadores de carnes precisam para maximizar seu potencial, para ampliar sua produção”, disse Mario Ravettino, presidente da ABC, grupo dos exportadores de carnes.

O plano de investimento, que envolve 11 empresas do setor, já teve início e será estendido ao longo de 2021.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.