Agronegócio

Argélia passará a permitir importação de trigo da Rússia, diz grupo francês

Reuters
Reuters

16 de setembro de 2020 - 14:49 - Atualizado em 16 de setembro de 2020 - 14:50

Por Gus Trompiz e Sybille de La Hamaide

PARIS (Reuters) – A Argélia pretende abrir seu mercado para importações de trigo da Rússia, disse nesta quarta-feira um grupo francês de exportadores, em uma medida já aguardada que pode agitar a competição em um dos maiores consumidores globais do cereal.

O país africano está alterando seus termos de importação para permitir os embarques de trigo originados da região do Mar Negro, incluindo os grãos russo e ucraniano, afirmou o grupo.

Moscou tem feito lobby pela entrada no mercado da Argélia, um dos poucos grandes importadores do mundo ao qual ainda não possui acesso, que atualmente é dominado pela oferta francesa.

Argel, enquanto isso, procura reduzir seu caro programa de importações em momento em que enfrenta manifestações populares e uma queda nas receitas com petróleo.

“Estamos aguardando uma mudança nos termos da Argélia para a próxima licitação de trigo, o que deve abrir esse destino às origens do Mar Negro”, disse Thierry de Boussac, operador e representante do grupo de exportadores franceses Synacomex, a repórters.

“Isso já foi aprovado pelo governo argelino, mas não sei os detalhes”, acrescentou ele, que participou de uma entrevista coletiva organizada pela FranceAgriMer.

Embora os detalhes das mudanças não tenham sido publicados, o limite para os danos causados ao trigo por insetos deverá ser ampliado de 0,1% para 0,5% para determinadas origens, que também terão elevadas as exigências para o conteúdo de proteína, disse Boussac.

A OAIC, agência de grãos da Argélia, que comanda as licitações do país para importações de trigo, não pôde ser imediatamente contatada para comentários.

(Reportagem adicional de Hamid Ould Ahmed, em Argel)