Agronegócio

Agricultores indianos bloqueiam estradas e ferrovias em protesto contra leis

Reuters
Reuters

25 de setembro de 2020 - 15:11 - Atualizado em 25 de setembro de 2020 - 15:15

Por Alasdair Pal

SHAMBHU, Índia (Reuters) – Milhares de agricultores indianos bloquearam estradas e ferrovias do país nesta sexta-feira, em protesto contra uma nova legislação que, segundo eles, abre caminho para que o governo deixe de comprar grãos a preços garantidos e os deixa à mercê de compradores privados.

O governo do primeiro-ministro Narendra Modi defende a legislação, aprovada recentemente pelo parlamento da Índia, como reformas que vão ajudar o amplo setor agrícola do país a se livrar de leis antiquadas e permitir que os produtores vendam a compradores institucionais e grandes varejistas, como o Walmart.

O governo insiste que as novas regras dão aos agricultores a opção de vender o que produzem para compradores privados, enquanto o Estado continuaria adquirindo produtos como arroz e trigo a preços garantidos.

Mas essas garantias não conseguiram apaziguar os ânimos de milhões de agricultores, que compõem um influente bloco eleitoral em Estados como Punjab e Haryana –cinturão agrícola do norte da Índia, em região que faz fronteira com a capital Nova Délhi.

Modi, que foi reeleito com maioria esmagadora em 2019, enfrenta agora seu maior protesto de agricultores, poucas semanas antes de uma eleição para a assembleia de Bihar, terceiro Estado mais populoso da Índia.

Como parte de uma paralisação nacional convocada pelas principais organizações agrícolas da Índia, produtores se manifestaram em diversas áreas do país, bloqueando rodovias que levam a Nova Délhi com caminhões, tratores e colheitadeiras.

Além de Punjab, Haryana e Uttar Pradesh, também houve protestos nos Estados de Odisha e Bengala Ocidental. Entidades agrícolas também organizaram manifestações em Gujarat, Estado do primeiro-ministro.

Os manifestantes se mantiveram pacíficos, mas muitos agricultores, que foram às ruas em grande número, não usaram máscaras –apesar da crescente contagem diária de casos de coronavírus na Índia.

(Reportagem de Alasdair Pal; reportagem adicional de Jatindra Dash em Bhubaneswar, Saurabh Sharma em Lucknow, Subrata Nag Choudhury em Calcutá e Sumit Khanna em Ahmedabad)