Agronegócio

Açúcar bruto tem máxima de 8 meses na ICE; café robusta toca maior nível em 1 mês

Reuters
Reuters

27 de outubro de 2020 - 17:32 - Atualizado em 27 de outubro de 2020 - 17:35

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE atingiram uma máxima de oito meses nesta terça-feira, chegando a superar a marca de 15 centavos de dólar, com o mercado ainda no aguardo do anúncio das políticas de exportação da Índia.

O café robusta registrou uma máxima de um mês, à medida que um poderoso tufão se aproxima do Vietnã, maior produtor global da variedade.

AÇÚCAR

* O contrato março do açúcar bruto fechou em alta de 0,06 centavo de dólar, ou 0,4%, a 14,83 centavos de dólar por libra-peso, após atingir uma máxima de oito meses durante a sessão, tocando a marca de 15,04 centavos.

* Operadores projetam novas altas para o açúcar, apostando que, embora a Índia deva destinar 6 milhões de toneladas do adoçante para exportação, o subsídio para os embarques do país tende a ser menor.

* Dessa forma, os preços do açúcar terão de subir para fazer com que os operadores indianos exportem a commodity, em vez de vendê-la no próprio país.

* Abhishek Nanda, gerente comercial da refinaria Al Khaleej Sugar, de Dubai, disse que a paridade de exportação da Índia deverá dar uma direção para os preços no futuro.

* Usinas do centro-sul do Brasil devem produzir 36 milhões de toneladas de açúcar em 2021/22, 5% a menos do que na atual temporada, disse a consultoria Datagro.

* A produção de açúcar do centro-sul do Brasil somou 2,61 milhões de toneladas na primeira quinzena de outubro, alta de 36,52% na comparação anual, embora a moagem de cana tenha desacelerado no período, informou a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica).

* O açúcar branco para dezembro avançou 0,90 dólar, ou 0,2%, para 397,50 dólares por tonelada.

CAFÉ

* O contrato janeiro do café robusta fechou em alta de 38 dólares, ou 2,9%, a 1.351 dólares por tonelada, máxima de quase um mês.

* O Vietnã está lutando para evacuar mais de meio milhão de pessoas de uma zona de perigo antes da passagem de um poderoso tufão, que deve despejar mais chuvas fortes no país, incluindo na área de cultivo de café das Terras Altas do Centro.

* O café arábica para dezembro avançou 0,3 centavo de dólar, ou 0,3%, para 1,0695 dólar por libra-peso. O primeiro contrato atingiu mínima de 1,0320 dólar na semana passada, menor nível desde 22 de julho.

* As chuvas seguem melhorando a umidade do solo no Brasil, maior produtor global de café, e podem contribuir com a safra do ano que vem, embora produtores vejam danos irreversíveis em alguns cafezais após um período prolongado de seca.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Maytaal Angel)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.