Agronegócio

Açúcar bruto fecha semana quase estável; café arábica recua 3,6% no período

Reuters
Reuters

8 de janeiro de 2021 - 20:31 - Atualizado em 8 de janeiro de 2021 - 20:35

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE fecharam estáveis nesta sexta-feira, após queda de 4% na sessão anterior, fechando a semana com pouca alteração nos preços.

Já os futuros do café arábica recuperaram algum terreno nesta sexta, mas acumularam queda de 3,6% na semana.

AÇÚCAR

* O contrato março do açúcar bruto fechou estável, a 15,60 centavos de dólar por libra-peso. O vencimento registrou uma perda de 4% na quinta-feira, após tocar uma máxima de três anos e meio, a 16,33 centavos.

* Operadores disseram que o mercado está se consolidando antes de arriscar um novo movimento de alta, uma vez que fundos seguem apostando na recuperação econômica global e permanecem amplamente otimistas com as commodities agrícolas.

* Eles acrescentaram, porém, que exportações da Índia, importante país produtor, vão limitar o rali esperado.

* As usinas de açúcar indianas têm assinado agressivamente contratos de exportação depois que o governo do país aprovou um subsídio para vendas ao exterior.

* Usinas brasileiras já fixaram preços de açúcar da safra 2021/22 em um volume de 17,25 milhões de toneladas, ou 69% das exportações projetadas para a temporada, disse a Archer Consulting.

* O açúcar branco para março avançou 1%, para 437,10 dólares a tonelada.

CAFÉ

* O contrato março do café arábica fechou em alta de 2,6 centavos de dólar, ou 2,1%, a 1,237 dólares por libra-peso, depois de atingir o patamar mais elevado em quase um mês. O arábica cedeu 3,6% nesta semana.

* O aumento nos estoques certificados pela bolsa e a desvalorização do real no Brasil têm pressionado as cotações do café.

* Sinais técnicos, no entanto, apontam para preços mais altos. Segundo o analista técnico da Reuters, Wang Tao, o café negociado em Nova York pode quebrar a resistência de 1,3645 dólar neste trimestre e avançar rumo a 1,4940 dólar.

* O café robusta para março recuou 18 dólares, para 1.318 dólares a tonelada.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Maytaal Angel)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.