Agronegócio

Açúcar bruto fecha em queda na ICE; café robusta toca máxima de um mês

Reuters
Reuters

30 de outubro de 2020 - 18:37 - Atualizado em 30 de outubro de 2020 - 18:40

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE terminaram a volátil sessão desta sexta-feira em queda, pressionados por algumas liquidações de posições compradas por fundos em meio à piora nos mercados financeiros devido ao aumento do número de casos de Covid-19.

Já o café robusta avançou para o maior nível em um mês, diante de preocupações com danos sobre os cultivos do Vietnã após fortes tempestades no país.

AÇÚCAR

* O contrato março do açúcar bruto fechou em queda de 0,04 centavo de dólar, ou 0,3%, a 14,36 centavos de dólar por libra-peso, ampliando as perdas frente à máxima de oito meses atingida na terça-feira, de 15,04 centavos.

* Operadores disseram que os fundos têm reduzido parte de uma enorme posição comprada em açúcar bruto, com o apetite por ativos de risco diminuindo diante do cenário cada vez mais sombrio para a economia.

* “A mudança de perspectiva dos investidores sobre os mercados em geral pode se provar como o fator de estagnação do rali do açúcar”, disse Tobin Gorey, analista do Commonwealth Bank of Australia, em nota.

* O açúcar branco para dezembro avançou 3,90 dólares, ou 1%, para 390,50 dólares a tonelada.

CAFÉ

* O contrato janeiro do café robusta fechou em alta de 14 dólares, ou 1%, a 1.351 dólares por tonelada, impulsionado por preocupações de que fortes tempestades possam danificar a safra do Vietnã, maior produtor global da variedade.

* O contrato janeiro chegou a tocar o maior nível desde 28 de setembro, sendo negociado a 1.381 dólares por tonelada.

* Fortes chuvas e ventos causados por um tufão atingiram importantes áreas produtoras de café do Vietnã nesta semana, representando uma ameaça à colheita do país, conforme disseram operadores na quinta-feira.

* O café arábica para dezembro recuou 0,2 centavo de dólar, ou 0,2%, para 1,044 dólar por libra-peso.

* A consultoria Safras & Mercado disse que tradings de commodities estão revisando para cima suas estimativas para a safra de café deste ano no Brasil, que chegam a 72 milhões de sacas.

* A Safras acrescentou, porém, que em 2021 a produção pode recuar para menos de 60 milhões de sacas e que o mercado ainda não precificou essa redução.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Nigel Hunt, com reportagem adicional de Roberto Samora, em São Paulo)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.