Coronavírus

ACP propõe reabrir comércio e governador do Paraná pede que isolamento seja mantido

Lucas
Lucas Sarzi
ACP propõe reabrir comércio e governador do Paraná pede que isolamento seja mantido
Foto: Lucas Sarzi/RIC Mais.

9 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:48

Voltar ao trabalho ou não voltar? Uma proposta da Associação Comercial do Paraná (ACP), feita nesta quinta-feira (9), trouxe a tona a discussão sobre romper o isolamento social a partir da próxima segunda-feira (13). Carlos Massa Ratinho Junior, o governador do Paraná, porém, defendeu a importância de manter o isolamento social e destacou que “se não houver consciência da população, o Estado vai ter que intervir para que o sistema não entre em colapso”.

Segundo a ACP, a proposta atende aos pedidos da maioria dos seus associados e não é uma regra, mas sim “um convite” para que os comerciantes retomem as atividades “como forma de amenizar os graves prejuízos acumulados pelo comércio com o período da quarentena” em razão do novo coronavírus. Em Curitiba, o Ministério Público já está pressionando o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, para que assine um decreto os proibindo de retomar as atividades.

Como forma de manter o controle para não espalhar o vírus, a ACP propôs “um horário diferenciado com equipes de trabalho reduzidas e com acesso limitado a 50% da capacidade de cada estabelecimento”. No caso, o comércio funcionaria das 10 às 16h, “evitando acúmulo de pessoas nos horários de pico do transporte público”, diz a proposta.

Apesar de propor o retorno, a ACP deixou aberto para que cada estabelecimento comercial restrinja o acesso para não haver acúmulo de pessoas e também destacou que deve ser fornecido máscaras e álcool gel aos colaboradores. Trabalhadores dos grupos de risco, porém, devem continuar a quarentena, “se valendo das medidas do governo para garantia de renda até o final do isolamento social”, propõe a Associação.

Dizendo entender a preocupação das autoridades sanitárias, a ACP explicou que a decisão foi tomada porque que “não pode se omitir aos apelos de seus associados, em grande parte microempresários, que não podem mais permanecer inteiramente fechados“. Conforme a avaliação da Associação, as medidas tomadas pelos governos federal e estadual são fundamentais para o momento, “mas a reabertura dos estabelecimentos comerciais é necessária para não aniquilarmos por completo as micro e pequenas empresas, que são grandes geradoras de emprego e renda”.

CENTRO RUA MARECHAL DEODORO CURITIBA 2

Foto: Lucas Sarzi/RIC Mais.

“Fiquem em casa”, pede o Governador

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, destacou a importância do isolamento social e pediu que as pessoas tenham paciência. “Não é fácil ficar em casa, a gente tem nossas necessidades, mas neste momento temos que ficar em casa e irmos ao comércio ou visitar alguém só numa grande necessidade“.

Segundo o governador, o isolamento social feito até agora tem garantido que os números não sejam ainda mais altos. “Ficar em casa é o que vai nos dar a oportunidade de manter o controle. Não é o presidente, não é o governador, nem o secretário de saúde e nem os prefeitos que vão salvar as vidas das pessoas, é o bom senso”, destacou.

Ratinho Junior disse que as pessoas precisam entender o momento que estamos passando. “Precisamos ter o bom senso de entender que estamos num período diferente, algo que não acontecia no mundo há mais de 40 ou 50 anos, e que neste momento temos que mudar nosso hábito. É uma mudança cultural que nós temos que fazer, porque se não houver consciência da população, o Estado vai ter que intervir e recolher todo mundo para que o sistema não entre em colapso como aconteceu na Itália. Por enquanto estamos numa medida didática para que as pessoas nos ajudem”, pediu o governador.

Destacando que a indústria paranaense está trabalhando com muito afinco, inclusive para ajudar a suprir as necessidades estaduais de aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), Ratinho Junior disse que a ideia não é sufocar a economia. “Mas não estamos num momento de normalidade. Não podemos asfixiar a economia, mas temos que reduzir o número de pessoas em circulação, para que elas não tenham risco de pegar ou transmitir a doença de maneira descontrolada”.

ratinho-junior-isolamento-coronavirus

Ratinho Junior disse que pode adotar medidas mais drásticas de isolamento. Foto: Divulgação/AEN.

Avanço do coronavírus no Paraná

O boletim do novo coronavírus divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta quinta-feira registra 71 novos casos e sete mortes. O Paraná soma atualmente 621 pacientes confirmados, destes, 24 mortes. Além disso, o Estado tem 5.504 casos descartados e 346 em investigaçãoAtualmente, 117 pacientes estão internados, 68 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 49 em leitos clínicos. Das 399 cidades do Paraná, 74 já confirmaram casos.