Notícias

Abram alas para o desfile de corpos sarados no Carnaval

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

27 de janeiro de 2017 - 00:00 - Atualizado em 27 de janeiro de 2017 - 00:00

A Modelo Tânia Oliveira como madrinha da bateria da Escola de Samba Tom Maior, em São Paulo (Foto: Tiago Queiroz, Estadão Conteúdo)

O quesito ‘corpo perfeito’ mudou bastante na história da folia; antes, as madrinhas da bateria não eram tão torneadas

São quatro dias de folia na festa popular mais conhecida do Brasil! Período este em que tanto homens como mulheres usam e abusam das fantasias e em alguns casos, da falta dela, para se exibir num grande espetáculo televisionado e visto mundialmente. No Carnaval, muitos expõem a beleza e a perfeição das pernas, bumbuns, cintura e seios em corpos esculturados.

Quem vê de longe e tem um corpo considerado “normal” sempre se admira e pensa: como ficar assim? Sem dúvida é necessário preparo, tratamentos estéticos, muito exercício físico e boa alimentação: porém, por mais que a pessoa se esforce, nem sempre conseguiria chegar a um resultado tão exuberante somente com essas atitudes. O que poucos confessam – e hoje já é muito comum – é que recorreram à cirurgia plástica na busca do “corpo ideal”.

Se compararmos os destaques e as madrinhas de baterias de hoje com as de antigamente, comprovaremos o quanto as pessoas estão alterando os seus corpos para se exibirem no Carnaval. Dá até para fazer um “antes e depois” com as carnavalescas celebridades e reparar a evolução no quesito “corpo alterado”.

Busca pelo equilíbrio

Para chegar a tanto, os procedimentos mais procurados são lipoaspiração (para ter a barriga ideal), colocar silicone (para ter os seios perfeitos), fazer preenchimento nas panturrilhas e nádegas (para ter o corpo torneado da Rainha de Bateria), modelar o nariz ou o queixo (de forma a afinar o rosto). São mudanças que podem elevar a autoestima de qualquer pessoa, fazendo-a se sentir bem consigo mesma. Mas é aconselhável que estas transformações sejam sutis, sem muito exagero.

“Da mesma forma que é comum ver no Carnaval um desfile de corpos perfeitos, é possível também encontrar experiências malsucedidas de pessoas que abusaram do poder do bisturi. Por isso, a busca pelo equilíbrio deve ser constante, mesmo quando se trata de remodelar o corpo e o rosto”, aconselha Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional – Cirurgia Plástica.

Métodos confiáveis

Haja dinheiro para transformar o corpo desta forma! Mas pode não ser tão difícil ter o corpo semelhante às beldades que brilham nos blocos, salões e avenidas de todo Brasil através da cirurgia plástica. Outra coisa que muitos não contam é que não tinham dinheiro suficiente para pagar à vista, e recorreram a uma assessoria administrativa que intermedeia as transações financeiras, como é o caso do Centro Nacional – Cirurgia Plástica, que oferece parcelamento do pagamento para os procedimentos cirúrgicos. 

Pensar na cirurgia plástica como uma saída para obter o corpo perfeito não é o problema. O X da questão é que a busca pelo corpo perfeito (seja para o Carnaval ou não), leva algumas pessoas a buscar cirurgias arriscadas, com técnicas e profissionais duvidosos. Como sempre vemos nos noticiários, nestes casos o fim pode não ser o desejado e causar sérios riscos à saúde. Por isso, é sempre mais coerente procurar métodos confiáveis e médicos registrados na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a SBCP.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.