Justiça

Mulher é condenada a 9 anos de prisão por deixar a filha deficiente morrer de fome

A filha tinha síndrome de down e sofria maus tratos em casa

Carol
Carol Machado / Produtora
Mulher é condenada a 9 anos de prisão por deixar a filha deficiente morrer de fome
Mulher é condenada a 9 anos de prisão por deixar a filha deficiente morrer de fome - Foto: Pixabay

24 de fevereiro de 2022 - 16:12 - Atualizado em 24 de fevereiro de 2022 - 16:12

Uma mulher que deixou a filha deficiente morrer de fome foi condenada a nove anos de prisão. Elain Clarke de 49 anos confessou que matou a filha Debbie Leitch de 24 anos, que tinha síndrome de down. O crime aconteceu no Reino Unido em agosto de 2019, mas somente agora Elain foi condenada por homicídio culposo.

De acordo com o jornal britânico Mirror, um exame post-mortem foi realizado e mostrou que Debbie tinha uma extensa infecção de sarna na pele. No dia da morte de Debbie, Elain ligou para os serviços de emergência informando que a filha estava morta.

Ao chegar no local, os socorristas encontraram um cenário devastador, o local estava coberto de larvas e fezes e o rosto da vítima estava irreconhecível. Um médico concluiu ao tribunal que Debbie estava morta há 36 horas antes da ambulância ser chamada.

Relatos apontam que Debbie sofria maus tratos constantemente, ela ficava trancada no quarto sem comida e usava roupas sujas.

Em dezembro de 2021 Elain confessou o crime. De acordo com o atendimento de serviços sociais, os pais de Debbie já tinha um histórico conturbado. Em setembro de 1997, Debbie e um irmão foram colocados no registro de proteção à criança e permaneceram lá até 2011.

Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.