Justiça

Ex-GM suspeito de matar jovem no Largo da Ordem é indiciado por homicídio e lesão corporal

Decisão da delegada será encaminhada para o Ministério Público, que deve promover denúncia; o Guarda Municipal foi exonerado da corporação no início deste mês de abril

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Ex-GM suspeito de matar jovem no Largo da Ordem é indiciado por homicídio e lesão corporal
(Foto: Reprodução/ Câmeras de Segurança)

27 de abril de 2022 - 11:44 - Atualizado em 27 de abril de 2022 - 11:46

O ex-guarda municipal Alessandro Neves Toso foi indiciado por homicídio doloso e lesão corporal leve e grave. A decisão foi assinada nesta terça-feira (26) pela delegada Daniela Correa Andrade. Com a conclusão do inquérito da Polícia Civil, o caso será remetido ao Ministério Público, que deve promover denúncia.

Toso foi exonerado pela Prefeitura de Curitiba no dia 06 de abril deste ano. Na publicação do Diário Oficial da capital, o texto esclarece que o servidor infringiu a conduta do cargo. O ex-agente estava afastado das funções da GM desde setembro de 2021, quando o órgão abriu um processo administrativo. A arma utilizada pelo suspeito foi apreendida e a Polícia Civil do Paraná (PCPR) segue com as investigações. Toso responde em liberdade.

Relembre o caso

jovem Mateus Silva Noga, de 21 anos, estava na noite de sábado, dia 11 de setembro de 2021, celebrando com amigos a aprovação no teste do Detran. O rapaz estava contente com a primeira habilitação, porém, foi surpreendido por uma ação truculenta da Guarda Municipal, que tinha o objetivo de dispersar cerca de 300 pessoas que estavam no local.

A situação aconteceu por volta das 22h45, quando a Guarda Municipal foi acionada para atender uma confusão que teria iniciado por causa de uma briga de casal. Os amigos que estavam com Mateus contaram que, ao verem a equipe, começaram a subir a rua e, logo em seguida, ouviram os tiros, que teriam sido disparados para dispersar a aglomeração no local.

“Ele atravessou a rua, andou uns 15 metros, 10 metros, foi onde ele abaixou. Eu brinquei com ele ainda e falei ‘o cara, levou um tiro?’, ele só balançou a cabeça assim [afirmativamente]. Eu achei que ele estava brincando, porque ele começou a correr, foi onde ele caiu e a gente percebeu que as costas dele estavam cheias de sangue”,

relatou Deivson Novaski, amigo de Mateus.

Deivson Novaski, amigo de Mateus, ainda relata que a violência foi desnecessária e que os agentes poderiam ter usado balas de borracha ou gás de pimenta. “Os caras chegaram com uma viatura, já chegaram metendo tiro e ainda uma arma de fogo. Olha o que resultou, na morte do nosso amigo”, desabafou. 

De acordo com o tio de Mateus, Nivaldo Noga, a situação foi lamentável. “O corpo do menino tem nove perfurações. E três das perfurações atravessaram o corpo, então é uma arma de altíssimo poder de destruição e a perda de um jovem que tinha a vida inteira pela frente”, relatou.

Quatro meses após a morte de Mateus, a polícia divulgou imagens da ação que aconteceu no Largo da Ordem. No vídeo é possível ver o momento em que o agente dispara em direção a vítima. Além do rapaz, uma mulher, de 31 anos, e a filha, de 14 anos, também foram baleadas. Elas foram socorridas e levadas para o Hospital Evangélico com ferimentos moderados.

Veja as imagens: