Justiça

1ª audiência do Caso Alceu Preisner Jr será realizada na quarta-feira (6), em Cascavel

O crime aconteceu no dia 27 de janeiro deste ano; o corpo de Alceu foi localizado dentro de um carro carbonizado, na área rural da cidade

Aline
Aline Cristina / Repórter
1ª audiência do Caso Alceu Preisner Jr será realizada na quarta-feira (6), em Cascavel
(Foto: Marcelo Lira/RICtv)

5 de julho de 2022 - 12:30 - Atualizado em 5 de julho de 2022 - 12:34

Será realizada na quarta-feira (6), em Cascavel, no Oeste do Paraná a primeira audiência, do caso da morte do advogado Alceu Carlos Preisner Junior. O crime aconteceu no dia 27 de janeiro deste ano. O corpo de Alceu foi localizado dentro de um carro carbonizado na área rural da cidade.

A audiência está marcada na 1° Vara Criminal de Cascavel, às 13h30 e tem como réu confessa Alessandra Paula Melo Mareze, que desde de março aguarda o processo em liberdade.  Na época em que a ré foi solta, o pai de Junior, concedeu entrevista e falou sobre a decisão da justiça.

“ Eu vi o depoimento dela, ela assumiu que esfaqueou meu filho, e como ele não morreu na hora, continuou esfaqueado até a morte. Que posteriormente pegou um jovem que pesava 110 quilos e media um metro e oitenta e oito, colocou no porta-malas de uma maneira fria levou até o local e sem nenhuma premeditação queimou. Ela foi solta, alegando que ela tinha que cuidar de uma filha menor, que tipo de sistema é esse? ”

Alceu Preisner -pai

Segundo o assistente de acusação, Luciano Katarinhuk, a defesa tenta invalidar um vídeo onde a mulher confessa o crime.

“Ela confessou o crime, porém, a sua defesa através de uma manobra jurídica busca invalidar a prova que envolve o vídeo gravado da confissão, onde ela relata com detalhes como matou o advogado Alceu Preisner Junior. Esperamos e confiamos que o juízo pronuncie a ré confessa, encaminhando-a a o plenário do júri. A família espera e confia que isto ocorra, pois caso contrário, seria um afronto à própria justiça.”

Luciano Katarinhuk – assistente de acusação

Sobre o caso

Alceu Carlos Preisner Junior era filho de Alceu Preisner, colunista conhecido em toda a região.  O corpo de Junior foi localizado no porta-malas do veículo, Geely EC7, totalmente queimado, encontrado em meio a uma plantação de milho, às margens do quilômetro três, da PR-486, rodovia que liga Espigão Azul a Cascavel.

(Foto: Marcelo Lira)

Os Bombeiros foram acionados nas primeiras horas da manhã do dia 27 de janeiro, para combater o incêndio e depois que as chamas foram extintas, o corpo foi localizado. O carro queimado está no nome de Alceu Carlos Preisner, que é o pai da vítima.

Na época, Alessandra relatou informalmente à polícia que cometeu o crime, a informação foi repassada em coletiva de imprensa concedida pelo Delegado da Homicídios, Diego Valim.

“ Segundo a detida, ela teria matado a vítima porque o homem teria tentado aliciar uma de duas filhas. Ao perceber a situação a mulher teve um ataque de fúria e partiu para cima da vítima.”

Diego Valim – Delegado da Homicídios

O companheiro de Alessandra também foi solto.

Confirmação de identificação

Os familiares conseguiram um alvará judicial expedido pela 1ª Vara Criminal de Cascavel, assinado pelo Juiz Marcelo Carneval para que os restos mortais fossem sepultados, mesmo sem o resultado do DNA.

A justiça entendeu que tudo leva a crer que o corpo é de Alceu. Por esse motivo foi realizada a liberação para sepultamento. Conforme consta em documento, a liberação do corpo não acarretará prejuízo à investigação policial, já que o material genético foi coletado. 

Registrou um flagrante? Mande para o WhatsApp do RIC Mais. Clique aqui e faça o portal com a gente!