Internet

Mulher aluga imóvel e descobre que local era centro de tortura na ditadura militar

Imóvel é anunciado em plataforma de reserva de acomodações como “Linda casa de época moderna”

Isadora
Isadora Deip / Estagiária com supervisão de Guilherme Fortunato
Mulher aluga imóvel e descobre que local era centro de tortura na ditadura militar
Imóvel localizado em Porto Alegre (RS) era estrutura paramilitar usada para tortura | (Foto: Reprodução/Twitter @kaol_ )

3 de agosto de 2022 - 18:37 - Atualizado em 3 de agosto de 2022 - 18:37

A ilustradora Kaol Porfírio teve uma surpresa ao alugar um imóvel em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul: descobriu que o local era um “Dopinho”, estrutura paramilitar usada para tortura durante o regime militar de 1964. A publicação em que a ilustradora conta o caso viralizou no Twitter nesta terça-feira (2).

Kaol procurou o imóvel para se hospedar durante um evento na cidade e, após ter a primeira reserva cancelada, encontrou o anúncio de outro imóvel em uma plataforma de reserva de acomodações, descrito como “Linda casa de época moderna”. A ilustradora só descobriu que o local era um centro de tortura após ler um feedback de outra pessoa que alugou o local.

“No início do feedback ele fala de ser um lugar “pesado” e eu não ligo para isso mesmo, não acredito nessas coisas. Mas no fim do feedback ele fala o porque e que tem até placa…”,

afirmou Kaol no post do Twitter.

A placa, instalada pela Prefeitura de Porto Alegre, informa que o “Dopinho” foi o primeiro centro clandestino de detenção do Cone Sul, sendo usado para sequestro, interrogatório, tortura e extermínio de “pessoas ordenadas” pelo regime militar de 1964.

Segundo a placa, o local era comandado pelo major Luiz Carlos Menna Barreto e as torturas eram praticadas por 28 militares, policiais, agentes do DOPS e civis.

Imagem
Placa instalada no imóvel usado como “Dopinho” | (Foto: Reprodução/Twitter @kaol_)

Anúncio do imóvel foi retirado da plataforma de reservas

Nesta quarta-feira (2), Kaol postou uma atualização sobre o caso no Twitter. Segundo a ilustradora, o anúncio do “Dopinho” foi retirado da plataforma de reservas.

Confira outras publicações de Kaol sobre o imóvel:

Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.